Feira de Artesanato do MelhorIdade destaca o potencial e a criatividade das idosas cadastradas no projeto

Mais do que aprender sobre como utilizar linhas, barbantes, tintas e reutilizar recicláveis e, outros utensílios para empreender e gerar renda, as alunas das oficinas de artesanato do MelhorIdade encontram nessas atividades, a terapia que precisam para superar problemas emocionais que enfrentam e que muitas vezes estão ligados a depressão, ansiedade ou mesmo a solidão.  A ocupação destaca o potencial e a criatividade das cadastradas, rende a elas novas amizades, aprendizados e companhias, além de oportunidade de ganhar um dinheiro extra com tudo que é confeccionado.

Como resultado de tudo que foi ensinado durante as oficinas das professoras Dalvacy Rocha de Queiroz (montagem), Rejane Misseno Feitosa (Tricô e bordado a mão), Mariuza Nunes Guimarães (tapeçaria) e Izotilia Aparecida da Costa (artesanato), as alunas e professoras juntamente com a coordenação do MelhorIdade, comandado pela Superintendente Lúcia Cardoso, promoveram sábado, dia 30 de novembro, uma Feira de Artesanato, para expor tudo que foi produzido por elas e a comercialização das peças.

Entre os produtos expostos, havia desde panos de prato com pintura em tecido, peças decorativas, bolsas, bordados, tapetes de barbante, pintura em telha, artigos de crochê e tricô, toalhas, jogos de cozinha completos e muito mais.

A superintendente Lúcia explica que parte do lucro com as vendas dos produtos fica com o expositor e a outra parte da renda vai para o projeto MelhorIdade, sendo utilizada na a aquisição de novos materiais para a continuação do desenvolvimento das atividades artesanais.

“A feira não tem intuito apenas comercial. Parte do dinheiro arrecadado vai para a compra de novos produtos, pois o objetivo é que os idosos continuem se ocupando com as atividades oferecidas no MelhorIdade”, confirma ela.

O MelhorIdade objetiva promover a melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa, por meio da organização de atividades de convivência, socioeducativas, culturais e de lazer. Atualmente, 1.110 idosos estão cadastrados no projeto. Os frequentadores participam de diversas atividades como hidroginástica, aulas de zumba, pintura em tecido, artesanato, crochê, tapeçaria, bordado a mão, alfabetização, academia, jogos de baralho, sinuca e montagem em geral. Além da interação e convívio social com os famosos bailes da terceira idade.